• Etiquette

CURIOSITY VS PRIVACY INVASION: 12 PROHIBITED QUESTIONS ACCORDING ETIQUETTE


As said the Portuguese writer Eça de Queiroz, in his Contemporary Notes: "... the curiosity, on the one hand, can lead to discover America, but, on the other hand, can lead to listen at doors." Yes, there is a fine line between curiosity and privacy invasion, that when broken, cause embarrassment and social isolation.

There are many situations, for example, you'll have coffee with a friend and he comes with a questionnaire, filled with questions of private/personal slant. He asks until the number of your bank account! It’s awkward and boring, isn't it? It seems he wants to speculate about your life, than spend a pleasant time with you.

People ask questions beyond belief, that make you feel invaded. The first few times I was embarrassed, with such bad manners and common sense. Today, I found a fun way to get out of those embarrassing situations and plan the answer according to what they want to hear. And, if it's a question very private, I give an absurd response, for the speculator realizes what he asked.

Another upsetting situation when the questionnaire is for a third party. Your friend/acquaintance and you are hanging out, and he starts to speculate the life of another friend of you. Such questions, as what’s his salary? Who paid for this or that? Or begin to opine on the life of another without even knowing. And so on ... I'm very embarrassed, speechless and try to change the subject immediately. But, unfortunately, the disappointment with these people, it's inevitable. Gradually, I lose the will to share moments together and pray they mature.

Thinking in these situations, I've selected 12 questions, which should be abolished any repertoire, to avoid curiosity beyond the good manners! Of course, there are situations where some questions can and should be made, for example, if you are moving out of country and need to know the life cost of the new country, to prepare for the change. In this case, which is totally different, calm down and get all your questions, to avoid possible future disorders.


So, avoiding the questions below, you will become a much nicer person. And, believe me, a lot of answers that you're looking for, will emerge naturally, if the person trust and like you.


They are:


1) How much do you earn?

This is the legitimate no limits curiosity. So why the person wants to know your income? To decide if you're going to be friends or not. To speculate if you can live in the neighborhood which you are living. To know if you are able to maintain your lifestyle. Numerous reasons that surely will not change anyone's life. On the one hand, you have a notion of the life values that this person considers important.


2) What car do you drive?

This follows the same line of the previous. That was the first question that a person made me the first time I met her, after living in Miami. To know if I was enjoying the new city, if I had already made friends, no, she didn’t want to know. Each with their values, huh?! ;)


3) How much you pay for your cleaning lady/driver/gardener/nanny?

Believe it or not, the person will go there and offer a higher value. Ever happened to me. Or did you expect someone who has no etiquette, has ethics?


4) Did you have botox/plastic surgery/liposuction etc.?

"God, you're thin! Did you a liposuction? " Never, never ask that kind of question if you want to stay alive. Comment just that she looks great and more beautiful. If the person like and feel comfortable with you, she will tell you what she did.


5) Don't you think that you need to lose weight?

Not to close, unless a parent, spouse and siblings. And yet, in a very delicate way. Because the person may have some psychological, hormonal disturb, etc.


6) Are you pregnant?

This exemption comments.


7) When you're getting married?

You will know when you are invited and, if invited. That question really boring.


8) When it comes to the baby? (And its variations: when it comes to the second ... third ...)

It seems that people no longer have the right to enjoy the wedding alone. And if they don't want children? What's the problem? Another point: Babies don't complete any marriage, they sum. And, parents should be prepared for that moment. Otherwise, you know what happens: rude children, parents without patience, weddings by a whisker, etc, etc, etc.


9) Why your son still doesn’t talk? (And all variations that can leave mothers insecure and/or upset.)

The kids speak in his/her day. In addition, there are many other factors related to talks. That don't fit me as a layperson, explain.


10) Why you don’t have a boyfriend?

So boring…


11) Do you remember me? (And does not give any hint to refresh the memory of the interlocutor)

Depending on the place, the situation and the time that has passed since people are presented, it is hard to remember it. So avoid constraints and comes soon performing. If he remember, he will comment.


12) How much did your shoe / bag / clothes, etc cost?

That's dowdy.



CURIOSIDADE X INVASÃO DE PRIVACIDADE: 12 PERGUNTAS PROIBIDAS SEGUNDO A ETIQUETA.


Já dizia o escritor português Eça de Queiroz, em sua obra Notas Contemporâneas: “…a curiosidade, por um lado, pode levar a descobrir a América, mas, por outro, pode levar a escutar atrás das portas…" Pois é, existe uma linha tênue entre curiosidade e invasão de privacidade, que quando rompida, causa constrangimento e isolamento social.

São muitas as situações, por exemplo, você vai tomar um café com um amigo e ele vem com um questionário, cheio de perguntas de cunho privado/pessoal. Pergunta até o número da sua conta no banco! É constrangedor e chato, não é? Parece mais que ele quer especular da sua vida, que passar um tempo agradável ao seu lado.

As pessoas fazem perguntas inacreditáveis, que fazem com que você se sinta invadido. Nas primeiras vezes eu ficava constrangida, com tamanha falta de educação e bom senso. Hoje em dia, encontrei uma forma divertida de sair dessas situações embaraçosas e planejo a resposta de acordo com o que elas querem ouvir. E, se é uma pergunta muito íntima, dou uma resposta absurda, para o especulador se flagrar.

Outra situação chata, é quando o questionário é para um terceiro. Está você e o seu amigo/conhecido, e ele quer especular a vida de um outro amigo seu. Perguntas do tipo, quanto fulano ganha? Quem pagou isso ou aquilo? Ou começam a opinar sobre a vida do outro, sem sequer conhecer, baseado somente nas postagens de rede social. E por aí vai… Eu fico muito constrangida, monossilábica e mudo de assunto imediatamente. Mas, infelizmente, a decepção com essas pessoas, é inevitável. Aos poucos acabo perdendo a vontade de compartilhar momentos juntos e resta a torcida para que elas amadureçam.

Pensando nessas situações, selecionei 12 perguntas, que devem ser abolidas de qualquer repertório, para evitar que a curiosidade ultrapasse a boa educação! Claro, que existem situações em que algumas perguntas podem e devem ser feitas, como por exemplo, se você está mudando de país e precisa saber o custo de vida do país novo, para se preparar para a mudança. Nesse caso, que é totalmente diferente, fique tranquilo e tire todas as suas dúvidas, para evitar possíveis transtornos futuros.


Então, evitando as perguntinhas abaixo, você se tornará uma pessoa muito mais agradável. E, acredite, muitas respostas que você procura, surgirão naturalmente, caso a pessoa confie e goste de você.


São elas:


1) Quanto você ganha?

Essa é a legítima curiosidade sem limites. Para que a pessoa quer saber a sua renda? Para decidir se vai ser sua amiga ou não. Para especular se você pode ou não morar no bairro que mora. Para saber se você tem como manter seu estilo de vida. Inúmeras razões que certamente, não mudarão a vida de ninguém. Por um lado, você terá noção dos valores que essa pessoa considera importantes.


2) Que carro você tem?

Essa segue a mesma linha da anterior. Essa foi a primeira pergunta que uma pessoa me fez, na primeira vez que encontrei ela, após estar morando em Miami. Saber se eu estava gostando, se eu já tinha feito amigos, se eu estava vem, ela quis saber bem depois. Cada um com seus valores, né?! ;)


3) Quanto você paga para a sua doméstica/faxineira/motorista/jardineiro/babá? Acredite se quiser, a pessoa vai ir lá e oferecer um valor maior. Já aconteceu comigo. Ou você esperava ética de alguém que não tem etiqueta?


4) Você fez botox/plástica/lipoaspiração etc, etc, etc? "Nossa, como você está magra! Foi lipoaspiração?" Nunca, nunca faça esse tipo de pergunta se quiser continuar vivo. Comente apenas que ela está ótima e mais bonita. Se a pessoa quiser e se sentir a vontade com você, vai contar o que fez.


5) Você não acha que precisa emagrecer?

Nem para íntimos, a não ser pai, mãe, cônjuge e irmãos. E, mesmo assim, de uma forma muito delicada. Pois a pessoa pode estar com algum problema psicológico, hormonal, etc.


6) Você está grávida?

Essa dispensa comentários.


7) Quando vocês vão casar?

Você saberá quando for convidado e, se for convidado. Que perguntinha bem chata.


8) Quando vem o bebê? (E suas variações: quando vem o segundo… o terceiro… o quarto…)

As pessoas não têm mais o direito de curtir o casamento em paz. E se não quiserem filhos?Qual o problema? Outro ponto: filho não completa casamento nenhum, filho soma e, os pais devem estar bem preparados para esse momento. Caso contrário, já sabem o que acontece: Crianças mal educadas, pais sem paciência, casamentos por um triz, etc, etc, etc.


9) O seu filho ainda não fala? ( E todas as variações que podem deixar as mães inseguras e/ou chateadas.)

A criançada falar no tempo dela. Além disso, há muitos outros fatores relacionados a fala. Que, não cabem a mim, como leiga, explicar.


10) Por que você não tem namorado?

Antes só do que mal acompanhado, né?!


11) Lembra de mim?(E não dá qualquer dica para refrescar a memória do interlocutor)

Dependendo do lugar, da situação e do tempo que passou desde que pessoas são apresentadas, é difícil lembrar mesmo. Então, evite constrangimentos e chegue logo se apresentando. Se a pessoa lembrar, ela comentará.


12) Quanto custou seu sapato/bolsa/roupa, etc?

Que deselegante.