• Health & Beauty

#PALEO #PALEOLIFE #PALEODIET: WHAT THIS #PALEOWAVE ACTUALLY MEANS?


Certainly, you have seen on social networks, hashtags like: #paleo #paleolife #paleodiet, but what this #paleowave actually means? I’ll tell you in this post.

The first time I heard the term paleo, was at the introductory class of crossfit.

First of all, is mistaken who thinks that paleo is one of those miracle diets like, lose 15 lb. in 7 days. No, definitely, this is not the point. Paleo, is nothing but a nutrition style, based based on the types of foods presumed to have been eaten by early humans, consisting chiefly of meat, fish, vegetables, and fruit, and excluding dairy or grain products and processed food.

In short, Eat real food! Oh, that's amazing! I love to eat!

The Paleo movement got its name in the 1970s with the doctor Walter l. Voegtlin. And recently received a boost with the research of Dr. Loren Cordain, author of The Paleo Diet, master's degree in Exercise Physiology from the University of Nevada-Reno and PhD in Exercise Physiology from the University of Utah.

Dr. Cordain explains that our ancestors before the Agricultural Revolution, were tall, strong, agile and athletic. They were able to hunt large animals travel long distances on foot and survive in harsh conditions. Once we dominated the agriculture - probably the most important event in human history - we begin to face health difficulties, energy problems and we saw to emerge a lot of new diseases. The situation worsened in the last decades, with processed foods.

In fact, our body never properly set to consume so many grains and refined carbohydrates. Excessive consumption of carbohydrates means extra energy we won't use-especially with a much more sedentary lifestyle than before. Extra unused energy is stored in the body as fat.

At the same time, carbohydrates are known as the main source of power from the modern diet. However, Robb Wolf, author of The Paleo Solution, explains that our bodies are prepared to act with far fewer carbohydrates than we began to consume after the Agricultural Revolution. A fact cited by the author is that – unlike proteins and fatsthere are no essential carbohydrates.

In a Paleo Nutrition our organism works like this: If there is no available carbohydrates, our body will obtain energy using fat as fuel. Both the fat you eat as the fat stored in your body, are burn. Makes sense, doesn't it?

Anyway, there is a lot of articles published about Paleo lifestyle. If you want to go deeper and understand better, I suggest accessing the links below:


http://robbwolf.com/

http://thepaleodiet.com/


It's the kind of food that I like most, because I've never been very close to breads, cakes and sugar. In time, not be very close doesn't mean never eat, okay? Soft drinks, no way, when I was a kid my mom used to mix vinegar and Coca-Cola, for which I didn't like. Snacks like Cheetos, argh, I can't even smell it ...

I love meat, eggs, vegetables and berries. However, I'm crazy about all kinds of pasta: Fettuccine, Penne, Ravioli, etc., though not eat as often as I'd like.

So, as I have trouble with radicalism, I decided to join the paleo style as a biweekly detox, and I'm loving the experience. For those who think that being time without carbohydrate turns the person weak and without energy, forget it. At least with me, it didn't happen. It's only a matter of time for the body to assimilate the new style, no drama! I'm more willing, less bloated, cellulite decreased and my arms and legs are thinner!

It's been a very satisfying experience. I regard as a seasonal detox and not impose as a rule. After all, I don't pass on an invitation to dinner at Il Gabbiano, my fave Italian Restaurant, here in Miami!


#PALEO #PALEOLIFE #PALEODIET: AFINAL DE CONTAS, O QUE É ESSA ONDA PALEO?


*Antes de começar a ler, quero esclarecer que, não estou incentivando ninguém a seguir qualquer tipo de alimentação, até porque, isso é papel de profissionais da área da saúde. Eu, como blogueira, apenas compartilho minhas experiências!



Certamente, você já deve ter visto nas redes sociais, hashtags #paleo #paleolife #paleodiet , mas o que na verdade essa #paleowave significa? Eu conto nesse post!

A primeira vez que ouvi o termo paleo, foi nas aulas introdutórias ao crossfit, modalidade que pratico e que em breve postarei sobre.

Primeiro de tudo, se engana quem pensa que paleo é daquelas dietas milagrosas do tipo: emagreça 7 Kg em 7 dias. Não, definitivamente, esse não é o objetivo. Paleo, nada mais é que um estilo de alimentação, baseado nos hábitos alimentares dos primeiros humanos habitantes do nosso planeta - período paleolítico. Consiste, principalmente, em carne, peixe, legumes (nem todos) e frutas (nem todas) e exclui alguns produtos lácteos, grãos e alimentos processados. Resumindo: Comer comida de verdade! Ah, que MARAVILHA - Amo COMER e faço com PRAZER!

O movimento Paleo ganhou esse nome na década de 1970, com o médico Walter L. Voegtlin. E, recentemente, recebeu impulso com as pesquisas do dr. Loren Cordain, autor do livro A Dieta do Paleolítico (The Paleo Diet), mestre em Fisiologia do Exercício pela Universidade de Nevada-Rento e doutor em Fisiologia do Exercício pela Universidade de Utah.

Dr. Cordain explica que nossos antepassados, antes da Revolução Agrícola, eram altos, fortes, ágeis e atléticos. Eram capazes de caçar grandes animais, percorrer grandes distâncias a pé e sobreviver em condições adversas.

Depois que dominamos a agricultura – provavelmente o fato mais importante da história da humanidade – começamos a enfrentar dificuldades de saúde, de energia e vimos surgir uma grande quantidade de novas doenças. A situação piorou bastante nas últimas décadas, com os alimentos industrializados.

Na verdade, nosso corpo nunca se ajustou apropriadamente para consumir tantos grãos e carboidratos refinados. O consumo excessivo de carboidratos significa uma energia extra que não vamos utilizar - sobretudo com um estilo de vida bem mais sedentário do que antigamente. Energia extra não utilizada é armazenada no organismo, sob a forma de gordura.

Os carboidratos são conhecidos por serem a principal fonte de energia vinda da alimentação moderna. No entanto, Robb Wolf, autor de The Paleo Solution, explica que nosso corpo é preparado para atuar com bem menos carboidratos, do que passamos a consumir depois da Revolução Agrícola. Um fato citado pelo autor é que – diferente das proteínas e gordurasnão existem carboidratos essenciais.

Tudo isso, funciona mais ou menos assim: se não houver carboidratos disponíveis, nosso organismo vai obter energia utilizando a gordura como combustível. Tanto a gordura que ingerimos quanto a própria gordura estocada em nosso corpo. E aí, começa a queima! Faz sentido, não faz?

Enfim, existe uma infinidade de artigos publicado falando sobre o Estilo de Vida Paleo. Se você quiser se aprofundar mais e entender melhor, sugiro acessar os links abaixo:


http://www.eall.com.br/paleo/a-dieta/como-funciona-a-dieta-paleo/

http://robbwolf.com/

http://thepaleodiet.com/


É o tipo de alimentação que mais me agrada, pois nunca fui muito chegada à pães, bolos e açucares em geral. Em tempo, não ser chegada, não significa nunca comer, ok? Refrigerantes, nem pensar, quando era criança minha mãe colocava vinagre na Coca-Cola, para que eu não gostasse. Salgadinhos estilo Cheetos e Fandangos, argh, não posso nem com o cheiro…

Amo carnes (todas, sem preconceito!), ovos, vegetais e frutas vermelhas! Porém, sou louca por todo o tipo de pasta: Fettuccine, Penne, Ravioli, etc, embora não coma com a frequência que eu gostaria.

Então, como tenho dificuldades com radicalismos e proibições, resolvi aderir ao estilo paleo como um detox quinzenal, e estou amando a experiência. Para quem pensa que passar um tempo sem carboidrato deixa a pessoa fraca e sem energia, pode esquecer. Pelo menos comigo, isso não aconteceu. É questão de dar tempo para o corpo assimilar o novo estilo, sem dramas! Estou bem mais disposta, menos inchada, as celulites diminuíram e braços e pernas estão mais finos!

Está sendo uma experiência bastante satisfatória. Encaro como um detox sazonal e não imponho como regra. Afinal de contas, não dispenso um convite para jantar no Il Gabbiano, meu italiano favorito, aqui em Miami!

5 views0 comments